Palin pede que 'Deus mostre o caminho' para candidatura em 2012

Candidata à vice republicana diz que se candidata se houver 'porta aberta'.

Da BBC Brasil, BBC

11 Novembro 2008 | 10h33

A candidata à vice-presidência pelo Partido Republicano, Sarah Palin, afirmou que espera que "Deus mostre o caminho" ao comentar uma futura candidatura à Casa Branca em 2012. Em uma entrevista ao canal de televisão americano Fox News, a governadora do Alasca afirmou que 2012 ainda está muito longe para que ela pense em uma candidatura. Palin vem sendo apontada como possível candidata dos republicanos dentro de quatro anos. "Se houver alguma porta aberta em (20)12 ou quatro anos depois, e se for algo bom para minha família, meu Estado, para minha nação, uma oportunidade, então vou passar por aquela porta", afirmou Palin durante a entrevista. A governadora do Alasca, que foi acusada de agir por conta própria durante a campanha, admitiu durante a entrevista que se desviou das instruções e normas fixadas pela campanha republicana, mas negou que tenha prejudicado o partido. "Se eu saí do roteiro de vez em quando, não posso me lembrar de nenhuma vez em que possa ter prejudicado (o candidato republicano à presidência John McCain) ou a candidatura", afirmou. As roupas e a África Em sua entrevista à Fox News, Palin também falou sobre outra polêmica, as roupas caras adquiridas por ela durante a campanha, que teriam custado US$ 150 mil ao Partido Republicano. "Não encomendei as roupas. Não pedi pelas roupas. Teria ficado satisfeita em usar minhas próprias roupas a partir do primeiro dia (de campanha)", afirmou. Palin também rejeitou informações de que ela não saberia que a África é um continente. "Nunca, nunca falei 'é um país ou é um continente'", afirmou. Palin, que é mãe de cinco filhos, tem outras entrevistas agendadas em canais nacionais dos Estados Unidos e planeja também participar da conferência da Associação dos Governadores Republicanos, na Flórida. Correspondentes afirmam que ela tem uma série de opções políticas, incluindo tentar a reeleição como governadora do Alasca em 2010 ou desafiar a senadora representante do Alasca no Senado, a republicana Lisa Murkowski. Também existe a possibilidade de Palin concorrer em uma eventual eleição para escolher o substituto de Ted Stevens, o outro senador pelo Alasca. Stevens, que concorreu à reeleição semana passada, corre o risco de ser obrigado a renunciar depois de ser condenado por corrupção. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
obama mccain eua usa eleição bush

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.