Palmeiras renasce e volta à ponta

Em noite de Obina, autor de três gols, equipe quebra jejum de quatro jogos sem vencer e goleia Goiás por 4 a 0

Bruno Deiro, O Estadao de S.Paulo

30 Outubro 2009 | 00h00

O torcedor do Palmeiras, que andava meio cabisbaixo, voltou a acreditar no título brasileiro. A vitória de ontem sobre o Goiás, por 4 a 0, não retomou só a liderança na competição. Trouxe de volta a confiança na equipe de Muricy Ramalho. Com estádio lotado, o time brigou, mostrou força e foi recompensado. Chegou a 57 pontos, dois a mais que o segundo colocado, o São Paulo, e ganhou moral para o clássico de domingo, contra o Corinthians, em Presidente Prudente.

A goleada veio em uma noite inspirada do atacante Obina. Fez três gols e ainda esnobou, dando um lindo toque de calcanhar para Deyvid Sacconi marcar. Deixou o campo aos 44 do 2º tempo nos braços da torcida.

Sem vencer havia quatro jogos, o Palmeiras entrou em campo pressionado pela vitória do rival São Paulo no dia anterior (1 a 0 sobre o Internacional). Desde o início, porém, espantou as desconfianças com força na marcação e objetividade no ataque. Definitivamente, a postura era diferente da apresentada em casa anteriormente, no empate com o Avaí (2 a 2) e na derrota para o Flamengo (2 a 0).

O Palmeiras teve uma pequena superioridade na etapa inicial, mas levou alguns sustos com o perigoso ataque goiano."No primeiro tempo, a gente estava contra o vento e a bola não conseguia chegar com facilidade (na frente). Agora, no segundo tempo, será menos difícil", disse o goleiro Marcos.

E o vento realmente soprou a favor. O alívio não demorou a chegar. Aos 4 minutos, Souza ganhou duas divididas e acionou Obina na direita. O atacante chutou forte de esquerda, por cima de Harlei, para abrir o placar. O gol abriu a defesa do Goiás e deu confiança ao Palmeiras.

Aos 28, Ortigoza, com boa atuação no lugar do suspenso Vágner Love, foi puxado na área e o juiz marcou pênalti, convertido por Obina. A expulsão de Rafael Tolói, aos 35, facilitou as coisas. Três minutos depois, Deyvid Sacconi, que havia entrado pouco antes, aproveitou passe de calcanhar de Obina, para ampliar. E aos 41, Obina, o herói da noite, fechou o placar.

O Palmeiras voltou, enfim, a deixar o Palestra Itália aplaudido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.