Palocci deixa Casa Civil; Gleisi Hoffman deve assumir

Antonio Palocci deixou nesta terça-feira o cargo de ministro-chefe da Casa Civil após semanas de pressão e acusações sobre o aumento de seu patrimônio nos últimos quatro anos.

REUTERS

07 Junho 2011 | 18h40

A senadora petista Gleisi Hoffmann (PR) deve assumir o cargo, disse uma fonte pouco depois de o ministro anunciar seu pedido de demissão.

"O ministro Antonio Palocci entregou, nesta tarde, carta à presidenta Dilma Rousseff solicitando o seu afastamento do governo", disse comunicado da Casa Civil.

"O ministro considera que a robusta manifestação do Procurador-Geral da República confirma a legalidade e a retidão de suas atividades profissionais no período recente, bem como a inexistência de qualquer fundamento, ainda que mínimo, nas alegações apresentadas sobre sua conduta", afirmou a nota.

Palocci vinha sofrendo pressão desde que foram divulgadas informações de que seu patrimônio aumentou 20 vezes entre 2006 e 2010. Na sexta-feira, em entrevistas, ele negou ter exercido tráfico de influência enquanto prestou consultorias por meio de sua empresa, a Projeto, mas negou-se a revelar a lista de clientes para os quais prestou serviços.

Ele entregou esclarecimentos à Procuradoria-Geral da República, que na segunda-feira decidiu arquivar pedido de investigação contra o ministro.

"(Palocci) considera, entretanto, que a continuidade do embate político poderia prejudicar suas atribuições no governo. Diante disso, preferiu solicitar seu afastamento", conclui a nota.

(Reportagem de Hugo Bachega)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA PALOCCI AFASTA ATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.