Panela, sopa e churrasco

A invenção da panela teria antecedido o surgimento da sopa ou foi a abundância de ingredientes, consequência do advento da agricultura, que induziu o homem a inventar a panela?

Fernando Reinach, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2012 | 03h03

Até recentemente, escavações arqueológicas em aldeias habitadas por nossos ancestrais indicavam que há 15 mil anos, quando é possível identificar os primeiros indícios da atividade agrícola, também aparecem os primeiros fragmentos de potes de cerâmica. Isso levou os cientistas a acreditar que o surgimento da agricultura e o desenvolvimento dos artefatos de cozinha teriam acontecido simultaneamente.

As tribos nômades que viviam da colheita de frutas e raízes, ao desenvolverem a agricultura, teriam abandonado a vida nômade, fixado-se em aldeias e isso teria permitido o surgimento de novas tecnologias, como os potes de cerâmica. Mas isso parece não ter sido a regra em todas as comunidades. Escavações feitas na China demonstram que o processo foi mais complexo.

A caverna de Xianrendong fica no município de Wannian, 100 km ao sul do Rio Yangtze, que desemboca ao norte de Xangai. A entrada é pequena, 2 por 2,5 metros, mas dentro há um enorme salão de teto alto. As escavações no local, que se iniciaram em 1961 e prosseguiram até 2009, indicam que a caverna foi ocupada por humanos de maneira quase ininterrupta por 17 mil anos. Locais como esses, onde nossos ancestrais deixaram acumular, em camadas sucessivas, restos de alimentos e diferentes artefatos, permitem que arqueólogos estudem o desenvolvimento de hábitos e tecnologias em milhares de anos.

Em 2009, foram escavadas duas valetas de 2 metros de comprimento e 2 metros de profundidade, de onde foram coletados e classificados todos os fragmentos de ossos, sementes, restos de comida, pedaços de pedra lascada, pedra polida e cerâmica presentes em cada uma das camadas de 10 cm de espessura. De cada uma dessas camadas os cientistas escolheram pedaços maiores de ossos e submeteram essas amostras à análise de carbono 14.

Por meio desse método é possível descobrir com grande precisão o ano em que o animal morreu. Os ossos da camada mais profunda datam de 28.885 anos atrás e os das camadas superiores, de 11.914 anos atrás. O erro dessas medidas é de 100 a 400 anos. No total, 24 amostras, de diferentes profundidades, foram analisadas. Isso permite saber exatamente quando aquela camada foi deixada no solo por nossos ancestrais. Sabendo a data de uma camada é possível deduzir que tudo que se encontra nela foi produzido na mesma data.

A análise das camadas mostra que as comunidades que habitaram a caverna não desenvolveram a agricultura até 10 mil anos atrás. Nas camadas mais antigas, os restos de alimentos são derivados de plantas coletadas na região e restos de animais caçados nas redondezas. Só nas camadas superiores é que existem vestígios de vegetais cultivados.

Cerâmica. Mas o mais interessante é a presença de fragmentos de cerâmica. Eles aparecem pela primeira vez nas camadas acumuladas há 20 mil anos. São pedaços de paredes de vasos cerâmicos. Eles são grossos, 1,7 cm de espessura, e claramente foram moldados à mão e queimados à baixa temperatura.

Nas ranhuras desses pedaços de cerâmica foram encontrados restos de alimentos. Nos estrados anteriores a 20 mil anos, correspondentes aos primeiros 9 mil anos que os seres humanos habitaram a caverna, não foram encontrados restos de cerâmica, mas em todos as camadas acumuladas depois de 20 mil anos atrás os fragmentos cerâmicos são abundantes. Isso indica que, uma vez descoberta a tecnologia de construir potes, ela não foi abandonada. Mas é somente nas amostras datadas de 10 mil anos atrás que surgem evidências de atividade agrícola.

Esses dados sugerem que as populações nômades da região, muito antes da descoberta da agricultura, já cozinhavam raízes e carne em panelas de barro. Não se sabe ainda se eles saíam para caçar e voltavam para a caverna (residiam na caverna) ou se eram nômades que transportavam suas panelas, passavam pela caverna regularmente e deixaram lá os cacos das panelas quebradas, ossos e restos de comida. Sabe-se com certeza que, muito antes do advento da agricultura, alguns grupos humanos já dispunham de panelas. A combinação das panelas com o domínio do fogo permite supor que os cozidos e as sopas já complementavam o churrasco (que não precisa de panela) na culinária de nossos ancestrais.

* BIÓLOGO

MAIS INFORMAÇÕES: EARLY POTTERY AT 20.000 YEARS AGO IN XIANRENDONG CAVE,  CHINA. SCIENCE, VOL. 336, PÁG. 1696, 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.