Pão de Açúcar prevê alta de 8,6% nas vendas em 2012

O Grupo Pão de Açúcar espera fechar 2012 com faturamento 8,6 por cento maior em relação ao ano passado, projeção considerada conservadora pela própria companhia, em meio ao cenário de retomada gradual da demanda, cortes nas taxas de juros e à estratégia de priorizar lojas de formatos menores.

VIVIAN PEREIRA, REUTERS

08 Maio 2012 | 14h26

A maior varejista do país informou nesta terça-feira que as vendas brutas em 2012 devem ficar acima de 57,2 bilhões de reais, sendo que o segmento alimentar deve contribuir com a maior fatia, de mais de 31,5 bilhões de reais.

"Não é um número cravado", ponderou o presidente-executivo do grupo, Enéas Pestana, em teleconferência com analistas e investidores, assinalando que a empresa optou por uma projeção "conservadora".

"A queda de juros terá impacto positivo", acrescentou o vice-presidente executivo da companhia Hugo Bethlem.

A varejista também informou que a margem Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) deve ser de 6,4 a 7,2 por cento em 2012, após 6,5 por cento em 2011.

Já os investimentos no fechado deste ano devem somar 1,8 bilhão de reais, comparado a desembolso de 1,6 bilhão de reais no ano passado. O aporte é inferior ao valor teto aprovado em meados de abril, de perto de 2 bilhões de reais.

"O (valor) projetado é 1,8 bilhão (de reais)... Esse número pode chegar ao teto aprovado em assembleia", afirmou Pestana.

Do montante total, conforme Bethlem, de 600 milhões a 700 milhões de reais serão destinados a compra de terrenos e construção de novas lojas no segmento alimentar.

Para 2012, a estimativa da companhia é de inaugurar entre 70 e 80 lojas na área alimentar e outras 50 a 60 unidades da Via Varejo, que inclui Casas Bahia e Ponto Frio.

Dentro do segmento alimentar, 50 unidades contarão com a bandeira Minimercado Extra, os chamados "supermercados de proximidade", sendo que 19 já estão contratadas para serem inauguradas principalmente em São Paulo.

Questionado sobre possíveis aquisições, Bethlem afirmou que a previsão de investimento anual não inclui tais operações. "Não orçamos aquisições"", disse ele a jornalistas. "Se acontecerem aquisições no meio do caminho, terá de haver um remanejamento de prioridades."

O Pão de Açúcar divulgou na noite de segunda-feira lucro líquido de 167 milhões de reais para o primeiro trimestre, alta de 25,8 por cento em relação ao mesmo período de 2011.

VIA VAREJO

Após encerrar os três primeiros meses do ano com vendas brutas quase 10 por cento maiores na comparação anual, em 6,3 bilhões de reais, a Via Varejo (ex-Globex) deve concentrar os esforços em crescimento orgânico.

"Estamos focando em crescimento orgânico agressivo", disse o presidente-executivo da unidade de eletroeletrônicos e comércio online do grupo, Raphael Klein. "Temos muito espaço para crescer... Isso ajudará o crescimento (de vendas) mesmas lojas a se manter forte".

As inaugurações de lojas sob a bandeira Casas Bahia ficarão concentradas na região Nordeste e as unidades de Ponto Frio em shopping centers.

Atualmente no meio do processo de captura de sinergias decorrentes da união das empresas, a Via Varejo tem dentre as metas para 2012 a aprovação do negócio por parte do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), cujo processo está em andamento há 28 meses.

"Estamos otimistas que (o Cade) aprove (a operação) o mais rápido possível, mas não temos data definida", disse Klein, ressaltando que o atraso na aprovação não interfere na estimativa de inaugurações de lojas para este ano.

Mais conteúdo sobre:
CONSUMO PAODEACUCAR GUIDANCES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.