Papa diz que jovem precisa recolocar Deus em sua vida

O papa Francisco ataca a idolatria pelo poder e pelo dinheiro e alerta que os jovens precisam recolocar a esperança e Deus no centro de suas vidas. Em sua homilia durante a missa na Basílica de Aparecida, nesta quarta-feira, 24, o pontífice fez questão de deixar claro que sua gestão na Igreja terá, em um sentido forte, a busca por voltar a dar à religião uma posição de destaque na sociedade.

JAMIL CHADE, Agência Estado

24 de julho de 2013 | 12h17

"Hoje, mais ou menos todas as pessoas, e também os nossos jovens, experimentam o fascínio de tantos ídolos que se colocam no lugar de Deus e parecem dar esperança: o dinheiro, o poder, o sucesso, o prazer", declarou. "Frequentemente uma sensação de solidão e de vazio entra no coração de muitos e conduz à busca de compensações, destes ídolos passageiros", insistiu.

Pedindo que os fiéis sejam "luzeiros da esperança", o papa dedicou parte de sua homilia justamente a pedir um novo comportamento à sociedade, principalmente dos jovens. "Tenhamos uma posição positiva sobre a realidade", disse. "Encorajemos a generosidade que caracteriza os jovens, acompanhando-lhes no processo de se tornarem protagonistas da construção de um mundo melhor", declarou."Os jovens não precisam apenas de coisas, precisam sobretudo que lhes seja proposto aqueles valores imateriais que são o coração espiritual de um povo, a memória de um povo", disse.

O papa lembrou ainda que havia estado em Aparecida em 2007, quando foi responsável por redigir o texto final da Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe (Celam). "A conferência foi um grande momento na vida da Igreja", avaliou. Mostrando sua tese de que a Igreja deve adotar um perfil missionário e sair em busca de fiéis, o papa insistiu que a própria declaração final em 2007 foi justamente obra da relação entre religiosos e peregrinos.

Ele esclareceu que a visita uma vez mais a Aparecida foi um pedido seu. "Eu quis vir aqui para suplicar a Maria o bom êxito da Jornada Mundial da Juventude e colocar aos seus pés a vida do povo latino-americano", disse, deixando claro que a inclusão da cidade no roteiro da viagem foi feito a seu pedido. No fim, Francisco reservou um espaço para se associar a Bento XVI, que esteve em Aparecida em 2007, para dizer que "sem Cristo não há luz, não há esperança, não há amor e não há futuro".

Mais conteúdo sobre:
papaAparecidamissa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.