Papamóvel sem blindagem exigirá reforço na segurança

Um mesmo grupo de policiais acompanhará o papa em todos os pontos onde ele aparecerá para os peregrinos

ROBERTA PENNAFORT, O Estado de S. Paulo

18 de julho de 2013 | 14h06

RIO - A segurança pessoal do papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) será reforçada por causa da decisão do pontífice de se deslocar em um veículo não blindado, informou José Monteiro, responsável pela Secretaria Extraordinária para Grandes Eventos do Ministério da Justiça. Essa segurança será feita pelo mesmo grupo de policiais federais em todos os pontos onde o papa aparecerá para os peregrinos.

Policiais rodoviários federais ficarão com a escolta do papa. Monteiro informou que 10 mil agentes de segurança, entre policiais federais, rodoviários federais, PM, Polícia Civil, bombeiros, guardas municipais e agentes da defesa civil, vão trabalhar na área de Copacabana por ocasião da Via Sacra com a presença do papa.

Policiais à paisana ficarão no meio da multidão que está sendo estimada em 2 milhões de pessoas. Eventuais revistas serão feitas na chegada à praia, mas a princípio não serão impedidas manifestações pacíficas.

Mais conteúdo sobre:
papablindadopapamóvel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.