Paquistão: para órgão, eleição dia 8 'parece impossível'

Comissão tomará decisão após consultar partidos; oposição é contra adiamento.

BBC Brasil, BBC

01 de janeiro de 2008 | 07h40

Um porta-voz da comissão eleitoral do Paquistão disse nesta terça-feira que a realização das eleições parlamentares no dia 8 de janeiro, como programado, "parece impossível", mas que o órgão tomará uma decisão após consultar os partidos. A votação da próxima terça-feira foi colocada em dúvida após o assassinato da ex-premiê e líder oposicionista Benazir Bhutto, na semana passada, e a onda de protestos e violência que se seguiu ao atentado. Os principais partidos de oposição, incluindo o partido de Bhutto, pediram às autoridades paquistanesas que mantenham a realização da eleição como programado. Eles argumentam que um adiamento ajudará o partido do presidente Pervez Musharraf. Escritórios queimados No fim de semana, um membro do governo havia dito que os problemas provocados pelos protestos após a morte da ex-premiê, com escritórios da comissão eleitoral queimados, listas de eleitores destruídas e linhas de transporte interrompidas, colocariam em dúvida a lisura da votação e que ela provavelmente teria que ser adiada por várias semanas. O porta-voz da comissão eleitoral, Anwar Dilshad, afirmou que os protestos violentos afetaram a organização da eleição em algumas regiões do país. "Informaremos os partidos políticos sobre a situação em Sindh, onde 13 de nossos escritórios foram queimados", disse Dilshad. "Informaremos eles sobre nossa situação e então marcaremos uma data em consulta com eles", afirmou.  Mas o Partido do Povo Paquistanês (PPP), que no domingo escolheu o filho e o viúvo de Benazir Bhutto como seus novos líderes, advertiu que o possível adiamento das eleições parlamentares poderiam "abrir uma comporta de violência". Outro ex-premiê e líder de outro partido de oposição, Nawaz Sharif, prometeu que sua agremiação lutará contra um adiamento e disse que promoverá manifestações caso isso aconteça. Segundo a comissão eleitoral, a decisão sobre adiar ou não a votação será anunciada na quarta-feira. BBC Brasil.   Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
bhuttoPPPliderançaeleiçãobilawal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.