Para chef, chegou a vez da América Latina

Entrevista Joan Roca, chef

Patrícia Ferraz, O Estado de S.Paulo

17 Outubro 2013 | 02h27

O que mudou desde que El Celler foi eleito o melhor do mundo?

Basicamente a dificuldade de fazer reservas... e a nossa rotina matinal, que agora inclui entrevistas, fotos, e-mails...

Qual a importância do prêmio?

Este prêmio é efêmero, a lista muda toda hora, mas ele tem uma coisa importante que é prestar um grande favor à cozinha de um território, é um reconhecimento, que desperta a atenção para a cozinha da nossa região.

Qual a parte que mais gosta em sua cozinha?

De estar lá, todos os dias. Gosto mais da cozinha salgada e especialmente durante o outono, que chega com os cogumelos, as carnes de caça, as trufas... É inspirador.

O que está acontecendo de importante na gastronomia atual?

Como tendência, é a vez da culinária da América Latina, que se apresenta potente, com todos os seus produtos. Como momento, há uma evolução social na gastronomia, os cozinheiros nunca foram tão bem formados e preparados.

Mais conteúdo sobre:
joan roca

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.