Para CNI, governo deve ser responsabilizado por poluição

O governo, não a indústria brasileira, deve ser responsabilizado pela poluição do País, disse o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade. O setor industrial divulgou, nesta quinta-feira, um documento com o que considera como grandes avanços na questão sustentável nos últimos anos. "Hoje, quem polui é a população, a sociedade", disse, afirmando que é preciso cobrar investimentos públicos em saneamento, mobilidade urbana e infraestrutura.

MARIANA DURÃO, Agência Estado

14 de junho de 2012 | 15h50

Questionado se a indústria brasileira é poluidora, ele afirmou que as empresas vêm trabalhando para reduzir os impactos ambientais de suas operações para atender uma legislação rígida que "fecha fábricas" e também ao consumidor, que hoje prefere produtos sustentáveis: "Não é apenas uma questão de responsabilidade social, mas de sobrevivência".

A CNI quer levar ao governo a proposta de redução de impostos para quem investe em responsabilidade ambiental. Segundo Andrade, ainda não há um projeto definido, mas a ideia é incentivar empresas certificadas e em dia com o ministério do Meio Ambiente. "Você poderia ter um incentivo de imposto, seja federal, estadual ou municipal. A empresa se cadastraria para ter um incentivo", explicou.

Andrade explicitou sua preocupação com as conclusões da Rio+20 no que tange à criação de barreiras para países em desenvolvimento e em particular do Brasil. "O que assusta é o mundo inteiro exigir do Brasil muito mais investimento em sustentabilidade do que eles fazem em países da América do Norte e Europa, que destruíram suas florestas", frisou Andrade. Ele criticou a exigência de recomposição de áreas florestais prevista no Código Florestal.

Tudo o que sabemos sobre:
CNIsustentabilidadedocumento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.