Para Dilma, brasileiro está 'vacinado contra neoliberalismo'

A presidente Dilma Rousseff avaliou nesta quinta-feira que a população brasileira está "vacinada" contra o neoliberalismo e disse a um grupo de organizadores do Fórum Social Mundial (FSM) que não é mais possível adotar um discurso anticapitalista.

REUTERS

26 de janeiro de 2012 | 19h59

Em evento fechado com cerca de 80 pessoas, entre elas integrantes da sociedade civil que participarão da conferência Rio+20, marcada para junho no Rio de Janeiro, Dilma defendeu ainda que a parcela não-governamental do evento tenha o lema "Um Outro Mundo é Possível", que desde 2001 é o lema do FSM.

"Ela (Dilma) garantiu que o povo brasileiro está vacinado contra o neoliberalismo. Mas eu não estou tão certo (que o povo está vacinado)", disse o sociólogo português e professor da Universidade de Coimbra, Boaventura de Sousa Santos, integrante da organização internacional do evento.

As declarações da presidente foram relatadas aos jornalistas também pelo teólogo Leonardo Boff e pelo empresário Oded Grajew.

Segundo os relatos, a presidente defendeu diante do grupo que não é mais possível adotar um discurso anticapitalista, pois ele "não dura cinco segundos".

"Não adianta ser anticapitalista. Precisamos de alternativas", teria dito a presidente, de acordo com os relatos.

Dilma segue ainda nesta quinta-feira para um encontro aberto com todos os participantes do Fórum no ginásio Gigantinho, em Porto Alegre. A presidente retorna ainda na noite desta quinta-feira a Brasília.

(Reportagem de Ana Flor)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICADILMANEOLIBERALISMO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.