Para Dilma, Dom Eugenio deixou nome inscrito na história da Igreja

Em nota, presidente lamentou morte de cardeal

Rafael Moraes Moura ,

10 de julho de 2012 | 11h53

Em nota, a presidente Dilma Rousseff lamentou hoje a morte do cardeal Dom Eugenio de Araújo Sales, comunicando pesar e "solidariedade ao povo do Rio de Janeiro e a todos os admiradores". D. Eugenio morreu na noite de ontem aos 91 anos, no Rio de Janeiro. Ele teria sofrido um enfarte.

Confira abaixo a íntegra da nota:

"O cardeal Dom Eugenio de Araújo Sales, arcebispo emérito do Rio de Janeiro, deixa seu nome inscrito na história da Igreja Católica pelo relevante papel que desempenhou em toda a sua vida. Em sua trajetória, a preocupação social sempre esteve associada ao trabalho eclesiástico, como bem sintetizam as Campanhas da Fraternidade, uma de suas iniciativas, que marcam a ação da igreja em todo o Brasil. Neste momento de pesar, levo minha solidariedade ao povo do Rio de Janeiro e a todos os admiradores, familiares e amigos de D. Eugenio".

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
d. Eugenio SalescardealRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.