Para Dilma, é preciso 'boxear' o que atrapalha o crescimento

A presidente Dilma Rousseff, que recebeu a bandeira olímpica nesta terça-feira na presença de atletas brasileiros, afirmou que é preciso "boxear todas as coisas que atrapalham o crescimento do país".

Reuters

14 de agosto de 2012 | 13h29

Os boxeadores Esquiva e Yamaguchi Falcão, medalhas de prata e bronze na Olimpíada de Londres, respectivamente, foram os únicos atletas que estiveram nos Jogos a participar da audiência com a presidente.

A bandeira foi levada a Brasília pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que a recebeu das mãos do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, em Londres, no encerramento dos Jogos.

Na cerimônia no Palácio do Planalto, ao ser perguntada se gostaria de boxear os juros, Dilma respondeu: "Acho que a gente tem que boxear todas as coisas que atrapalham o crescimento do país."

O Rio receberá em 2016 a primeira Olimpíada a ser realizada na América do Sul.

Também participaram da audiência o governador do Rio, Sérgio Cabral, e o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do comitê organizador dos Jogos do Rio, Carlos Arthur Nuzman.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Mais conteúdo sobre:
POLITICADILMABOXEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.