Para educar

Quando os notebooks do programa One Laptop per Child (OLPC, Um Laptop por Criança) chegam às escolas públicas, é comum os alunos aprenderem sozinhos a consertá-los. O norte-americano Walter Bender, que comanda o desenvolvimento do software presente nas máquinas, chamado de Sugar, conta que meninos de 11 anos de idade no Peru e na Nigéria conseguem resolver problemas em laptops de colegas.

O Estado de S.Paulo

09 Julho 2012 | 03h07

Presente em escolas de 40 países, como Uruguai, Peru e Ruanda, o XO - como é chamado o laptop - surgiu em 2005 para incentivar a inclusão digital em países pobres. Sete anos depois, o laptop que inspirou os netbooks enfrenta críticas por estar atrás de tablets educacionais como o Aakash, projetado na Índia.

Para Bender, no entanto, as discussões em torno do equipamento vêm de uma visão estreita de como a tecnologia pode ajudar os estudantes. Mais importante que o computador são o sistema operacional que o suporta e a orientação dada a professores e alunos, segundo ele.

"O software é essencial para o aprendizado", disse em conversa no seu escritório em Cambridge, nos Estados Unidos, onde recebeu o Link. O Sugar tem código aberto e pode ser usado por qualquer um, sem o pagamento de licença. Ele está nos laptops do One Laptop per Child - cerca de 2 milhões de unidades adotadas em escolas públicas.

Estimular a familiaridade com a máquina é uma das primeiras diretrizes do projetos. Computadores são montados e desmontados, para que se veja o que há por dentro. Incentiva-se também a participação no Sugar, em que 10% dos novos aplicativos são criados por crianças.

Além do XO, hoje em sua terceira geração, o One Laptop per Child pretende lançar um tablet. Ele já tem nome: XO-3. Foi apresentado em janeiro, mas ainda está em desenvolvimento.

Os tablets e e-readers adotados atualmente, na avaliação de Bender, não foram feitos para crianças. "Os Kindles distribuídos em escolas americanas estão encostados porque não duram nas mãos delas." Diretor do Media Lab, o laboratório do departamento de pesquisas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), de 2000 a 2006, Bender trabalhou com Nicholas Negroponte, o fundador do Media Lab e criador da One Laptop per Child. Agora, ele se dedica exclusivamente à Sugar Labs.

Nayara Fraga

CAMBRIDGE

nayara.fraga@grupoestado.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.