Para ONU, chances de achar sobreviventes no Haiti são pequenas

O governo do Haiti suspendeu as operações de busca e resgate e a esperança de encontrar sobreviventes do terremoto que devastou o país está diminuindo rapidamente, disse a Organização das Nações Unidas neste sábado.

REUTERS

23 de janeiro de 2010 | 11h48

"A esperança está acabando agora, embora ainda possam acontecer milagres", disse Elisabeth Byrs, porta-voz do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês). "O governo declarou as operações de busca e resgate encerradas."

A ajuda está chegando ao Haiti, mas ainda não está sendo distribuída de forma suficientemente rápida para alimentar e abrigar todos aqueles deixados famintos e desabrigados pelo terremoto de magnitude 7,0 que abalou Porto Príncipe em 12 de janeiro, matando até 200 mil pessoas.

Byrs disse que as equipes de busca e resgate salvaram 132 pessoas, mas o foco agora é levar assistência médica aos sobreviventes e encontrar cadáveres.

A OCHA afirmou que a gigantesca quantidade de feridos sem tratamento segue sendo uma preocupação, embora mais ajuda esteja a caminho. A entidade disse que, embora a situação de segurança esteja estável, há potencial para tumultos.

Byrs disse que uma equipe da ONU com equipamentos pesados para a remoção de escombros de contrato segue no Haiti para ajudar a resgatar cadáveres.

(Reportagem de Sam Cage)

Tudo o que sabemos sobre:
HAITITERREMOTOESPERANCAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.