Para trabalho e férias

Reformado, sobrado no Brooklyn é versão contemporânea de casa de veraneio

David Hay, NYT,

12 de abril de 2011 | 07h00

Escritório do arquiteto Thomas Warnke na casa comprada por meio de anúncio online

 

Thomas Warnke encontrou sua casa no Craigslist (serviço de classificados online) e sabe como isso pode soar estranho para algumas pessoas. "Normalmente, a pessoa vai ao Craigslist atrás de bicicletas usadas e imóveis para alugar - não de propriedades de centenas de milhares de dólares", disse Warnke, de 43 anos, um arquiteto que se mudou da Alemanha para os Estados Unidos há 11.

 

Ele se frustrara com meios mais convencionais de encontrar imóveis, particularmente depois de ver um negócio gorar quando os vendedores resolverem aumentar o preço da casa no último minuto antes da compra. E os classificados normais de imóveis não ofereciam nada perto da área que havia escolhido: a orla ainda subdesenvolvida do Brooklyn, Nova York.

 

Assim, três anos atrás, quando viu um anúncio no Craigslist para uma "Adorável casa de carruagens de dois andares" por US$ 775 mil, a dois quarteirões da água, ficou intrigado. E como é um arquiteto, a mensagem de alerta, "precisa de reparos - prepare-se!", foi uma motivação extra. Quando foi ver a construção de 1899, Warnke não se deixou intimidar pelo que a rodeava: terrenos baldios, uma grande área de mato atrás e a casa vizinha que parecia estar desabando.

 

Ele rapidamente fez a oferta, comprando a casa de 185 m² por US$ 760 mil (equivalente a R$ 1,230 milhão), e se mudou para lá. O térreo, uma garagem aberta, era inabitável, mas o apartamento acanhado no primeiro andar era suficientemente bom para ele ficar enquanto concluía a reforma. "Mas houve três noites em que o telhado estava aberto e entrou chuva", lembra.

 

A ideia que lhe ocorreu para a obra foi simples: uma versão contemporânea de uma casa de férias na cidade. "Como não posso comprar uma casa de veraneio, pensei: ‘Por que não fazê-la aqui mesmo?’"

 

A obra custou US$ 200 mil (R$ 322 mil) - US$ 100 mil (R$ 160 mil) a menos do que teria custado não fosse o desconto oferecido por um jovem empreiteiro ansioso para pegar o serviço. Por fora, a casa conserva a fachada original de tijolos, de modo que ainda se harmoniza com a vizinhança. Mas o tema casa de veraneio é imediatamente evidente quando se entra pela porta da frente, no interior branco brilhante pontuado de púrpura, água-marinha e laranja vivo.

 

Parte do térreo é agora um estúdio ocupado por Tin Nguyen, um artista de 22 anos que paga o aluguel dando a Warnke uma nova pintura a cada dois meses. Atrás dele fica a cozinha e a área de vivência do arquiteto, dominada por uma parede de estantes brancas lustrosas compradas na Ikea. No andar superior fica o escritório, com vista para a rua, e o dormitório.

 

Uma escada no meio da casa divide os dois espaços no térreo, subindo dois lances até um deque no telhado. No processo de instalar a escada, Warnke retirou várias vigas do teto, o que lhe deu a oportunidade de exibir a história da casa. As vigas agora servem de prateleiras na sala de visitas e, como o novo teto não se estende até a parede, o visitante pode vislumbrar a estrutura original pela fenda.

 

O jardim nos fundos completa o tema da casa de férias. Recentemente, ele criou uma horta e um deque com jardineiras no telhado. No verão passado, quando a reforma foi concluída, os amigos de Warnke acorreram aos muitos churrascos que ele fez - como se eles também estivessem de férias. Mas tudo que precisaram fazer para chegar à sua casa de veraneio foi tomar um ferry. / TRADUÇÃO DE CELSO M. PACIORNIK

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.