Paraguai tem dúvidas sobre dívida externa sul-americana

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, disse nesta terça-feira que vários países latino-americanos têm as mesmas dúvidas sobre sua dívida externa que o Equador, que na semana passada anunciou uma moratória. "Quase todos nós... temos dívidas externas que não chegaram ao seu destino, que não se utilizaram com a finalidade original pela qual foram contraídas", disse Lugo, que está no Brasil para participar de uma cúpula de líderes latino-americanos e do Caribe. "Em uma democracia aberta, isso não tem legitimidade", disse Lugo a jornalistas. O presidente do Equador, Rafael Correa, anunciou na sexta-feira que não pagará o equivalente a 31 milhões de dólares em cupom de bônus com vencimento. A inadimplência do Equador é a primeira em bônus soberanos latino-americanos em seis anos e fez despencar os preços dos títulos do país no mercado internacional. Os créditos de outros países da região não foram afetados, pois os investidores duvidam que algum outro governo siga o exemplo equatoriano. O Paraguai tem uma dívida externa pequena, de pouco mais de 2 bilhões de dólares. Seus credores são, na maioria, agências multilaterais de crédito e não investidores privados. Lugo anunciou este mês que criará uma comissão para analisar a legalidade da dívida externa paraguaia. "Queremos investigar a origem e a destinação dessa dívida", disse o presidente, ao ser questionado se o Paraguai considera o não-pagamento de sua dívida. (Reportagem de Raymond Colitt)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.