Paraíba tem 170 municípios em estado de emergência

Todos os 170 municípios do semiárido paraibano - 76% do total de 223 municípios - se encontram em situação de emergência devido à estiagem que afeta 2,6 milhões de pessoas no Estado. A falta de chuvas provocou a perda de 85% das plantações de pequenos agricultores e fez despencar o valor do rebanho.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

09 Maio 2012 | 20h02

O secretário estadual da Agricultura Familiar, Alexandre Eduardo, destaca a gravidade da situação ao lembrar que 87% das propriedades da Paraíba vivem da agricultura familiar. "Neste ano a grande maioria dos agricultores não irá colher feijão, milho, arroz, macaxeira, batata doce, jerimum".

O quadro fica ainda mais grave na região do Cariri - que engloba 56 municípios - devido à praga da cochonilha-do-carmim que destruiu mais de 90% das plantações de palma, principal suporte forrageiro dos animais em tempos de seca. "O preço do gado já caiu 50% porque começa a perder peso e o valor comercial", afirmou o secretário. "O pequeno criador que leva o seu animal para vender na feira, muitas vezes traz de volta para casa o animal que não vai ter como alimentar".

De acordo com a Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), o nível de chuvas na região do semiárido paraibano está 65% inferior ao registrado no ano passado. Em muitos dos municípios não houve registro de chuvas neste ano - o período chuvoso da área vai de fevereiro a maio. Dos 121 reservatórios d''água do Estado monitorados pela Agência, nove estão com volume inferior a 20% de sua capacidade. A decisão de estender a emergência para todo o semiárido da Paraíba foi tomada terça-feira pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), a fim de agilizar a liberação dos recursos federais anunciados para o combate à seca no Nordeste, a exemplo do Bolsa Estiagem e liberação de crédito agrícola.

Mais conteúdo sobre:
secaNordeste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.