Paralisação de caminhoneiros acaba no oeste de SC

Terminou nesta quarta-feira a paralisação dos caminhoneiros na região oeste de Santa Catarina, depois de três dias de protesto. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as rodovias federais foram totalmente liberadas após a intervenção da equipe de pronto-emprego da PRF nos cinco pontos de manifestações. As Rodovias BR-282, no trevo de Maravilha, e BR-158, em Cunha Porã e Palmitos, onde havia bloqueio feito pelos caminhoneiros deste segunda-feira, 1, foram liberadas de forma pacífica após a chegada da tropa da PRF.

JÚLIO CASTRO, ESPECIAL PARA A AE, Agência Estado

03 de julho de 2013 | 18h17

Em pontos isolados de algumas vias federais da região oeste, foram registradas manifestações, porém sem comprometer o fluxo de veículos. Inicialmente, os bloqueios permaneceriam até o início da tarde desta quinta-feira, 4, porém o fim foi antecipado. Os cerca de 500 caminhoneiros reivindicavam melhores condições de trabalho, redução do preço do óleo diesel e isenção de pedágios. Parados, eles aguardavam a aprovação da alteração da Lei 12.619, que defende a mudança no intervalo entre uma viagem e outra de 12 para seis horas.

O movimento comprometeu a cadeia de produção agroindustrial. Os prejuízos superaram os R$ 10 milhões diários em toda região, de acordo com estimativa da Coorpercentral Aurora Alimentos, a principal agroindústria da região. Mais de 150 mil aves deixaram de ser industrializadas por dia em cinco plantas da empresa em Chapecó. A situação normalizou-se, até mesmo com o restabelecimento no fornecimento de rações nas propriedades rurais, onde está um plantel permanente de 25 milhões de aves e 950 mil suínos alojados em mais de 15 mil estabelecimentos rurais. A Aurora afirmou que não houve mortandade de animais durante os quase três dias de movimento.

Mais conteúdo sobre:
ProtestoscaminhoneirosSC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.