Paraná pesquisa até o DNA do pinhão

O professor-sênior do Programa de Pós-Graduação de Produção Vegetal da Universidade Federal do Paraná, Flávio Zanette, explica que o pinhão resulta do cruzamento entre duas árvores diferentes. ''Por isso há uma variabilidade muito grande de ''raças'', pelo menos 18 já identificadas'', diz. ''Estamos fazendo pesquisas com DNA das plantas para mapeá-las melhor.'' A mais comum é fruto da Araucaria angustifolia. Outras raças são o pinhão-caiová, que mede de 13 a 14 centímetros - os demais têm em média 9 centímetros -, e o macaco, que germina na pinha e não cai, além do amendoim, mais avermelhado. ''Nada nos garante que o farinha seja diferente das raças do Sul, embora as diferentes condições da região podem ter feito evoluir uma raça nova.''

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.