Paraná registra 48 mil pessoas afetadas pelas chuvas

Um novo balanço realizado pela Defesa Civil do Paraná e divulgado no final desta segunda-feira, 23, destacou o aumento de 27 mil (pela manhã) para 48,3 mil pessoas afetadas pelas chuvas de granizo e vendavais ocorridos no final de semana em 38 municípios e que provocaram acidentes com 38 pessoas, a maioria por queda na tentativa de consertar os telhados das casas.

JULIO CESAR LIMA, ESPECIAL A AE, Agência Estado

23 de setembro de 2013 | 19h35

São João e Salto do Lontra, na Região Sudoeste decretaram situação de emergência. Corbélia, Prudentópolis e Coronel Vivida foram os mais atingidos e devem decretar estado de emergência até terça-feira, 24.

Segundo o chefe operacional da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, Edemilson Barros, o governo estadual já encaminhou um primeiro lote de ajuda com 427 bobinas de lona e 28 mil telhas para cobertura das casas. "Essa foi a primeira ajuda emergencial, outros itens serão enviados assim que os municípios apresentarem o levantamento da destruição e pudermos quantificar o apoio", explicou.

Do total de pessoas afetadas, 2.450 estão desalojadas (estão em casas de parentes ou amigos). Há 18 desabrigados (estão em locais comunitários). Há também 10.140 casas danificadas por destelhamento. Apesar disso, Barros afirmou que esse não é número final e que ele pode aumentar. "Esse não é o balanço definitivo. As informações são atualizadas constantemente, pela internet. Já temos todos os itens de ajuda humanitária em registro e, à medida que os municípios informarem os prejuízos teremos condições de atender com rapidez", afirmou o coronel Barros.

Em Corbélia, as chuvas afetaram 11.953 pessoas (em um total de 17 mil habitantes) e danificaram 2,8 mil casas; já em Prudentópolis 9 mil pessoas foram atingidas e 1 mil casas danificadas.

Nair Bales dos Santos, de 60 anos, vive há mais de 40 anos no município e disse à imprensa que nunca havia passado por essa situação. "Eu estava sozinha em casa e foi alagando tudo", contou. "Na correria, passei mal e o pessoal da Defesa Civil me levou até o hospital." Nair e a filha Josélia estão no abrigo temporário.

Mais conteúdo sobre:
chuvasSulParaná

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.