Parasitas são essenciais na ecologia, diz estudo

Cientistas determinaram que parasitas são surpreendentemente importantes nas teias alimentares, descoberta publicada antecipadamente na versão online do periódico Proceedings of the National Academy of Sciences. O artigo descreve um estudo realizado no Carpinteria Salt Marsh, em Santa Barbara, Califórnia. Teias alimentares traçam o fluxo de energia num ecossistema. Trata-se de uma ampliação do conceito de cadeia alimentar - a seqüência de quem devora quem na natureza. O estudo das teias alimentares raramente incluem parasitas, por conta da dificuldade em quantificá-los: essas criaturas são pequenas e invisíveis, e ficam escondidas em seus hospedeiros. Usando dados de quatro teias alimentares relativamente amplas e que contêm parasitas, o pesquisador Kevin Lafferty e colegas examinaram de que como os parasitas afetam a ecologia. Eles descobriram que os parasitas dominam os elos da teia entre as espécies: na média, uma teia alimentar continha mais elos entre parasitas e hospedeiros que entre predadores e presa. "Parasitas podem muito bem ser o fio que costura as comunidades ecológicas", diz um dos co-autores do estudo, Andrew Dobson.A pesquisa também mostrou novos padrões: sabe-se que a vulnerabilidade de um animal a predadores cai conforme se sobe a cadeia alimentar - nenhuma espécie vive de comer tigres e leões, por exemplo - mas, neste estudo, descobriu-se que a vulnerabilidade a parasitas sobe junto com a cadeia alimentar. Segundo Dobson, é como se a "pirâmide da vida", com os predadores no topo, contivesse uma "pirâmide dos parasitas", invertida.

Agencia Estado,

12 de julho de 2006 | 16h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.