Paris sofre com vandalismo na festa dos argelinos

Capital e outras cidades francesas assistiram a confrontos entre policiais e torcedores, inebriados pelo país ir à Copa

PARIS, O Estadao de S.Paulo

20 de novembro de 2009 | 00h00

Torcedores apaixonados tomaram a Avenida Champs Elysées, em Paris, comemoraram à efusão, depredaram lojas e destruíram automóveis nos festejos pela classificação para a Copa de 2010, conquistada na quarta-feira. Inebriados pelo feito, portavam com orgulho o verde, o branco e o vermelho, as cores do país. Eram argelinos, eufóricos com a vitória heroica sobre o Egito, por 1 a 0, no Sudão. "One, two, three, vive l"Algérie!", gritavam.

O entusiasmo dos torcedores acabou se transformando em atos de vandalismo. Garrafas e objetos foram arremessados contra policiais, que revidaram atirando bombas de gás lacrimogêneo. Vitrines de lojas foram quebradas durante a confusão e latas de lixo, incendiadas perto do Arco do Triunfo. Sinais de trânsito também sofreram danificações. A polícia só restabeleceu a ordem por volta das 3h30. Manifestações e incidentes praticados pelos argelinos também ocorreram nas cidades de Lyon, Marselha e Lille.

A Federação Egípcia de Futebol se retirou ontem da União Norte-Africana de Futebol (Unaf) por causa de atos violentos contra os torcedores de seu país em Cartum, capital do Sudão, por argelinos, após a partida que definiu a eliminação do Egito. A Unaf, fundada em 2005, reúne as federações do Egito, Tunísia, Líbia, Argélia e Marrocos e organiza competições regionais.

O governo egípcio afirma que os torcedores que foram a Cartum para acompanhar a partida sofreram "agressões selvagens" dos argelinos.

Em decorrência de tudo que vem ocorrendo (agressões de parte a parte nos dois países), o governo do Egito chamou para consultas seu embaixador na Argélia. Segundo informações da televisão estatal egípcia, o Ministério do Exterior entregou uma carta de protesto ao embaixador argelino no Cairo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.