Partido islamista da Tunísia nega ligação com morte de rival secular

O partido islamista líder da coalizão que governa a Turquia disse que não teve qualquer ligação com o assassinato, nesta quarta-feira, do líder secular de oposição Shokri Belaid.

Reuters

06 de fevereiro de 2013 | 10h53

"O Ennahda é completamente inocente no assassinato de Belaid... É possível que o partido governista cometesse esse assassinato quando isso poderia prejudicar os investimentos e o turismo?", disse o presidente do partido, Rached Gannouchi, à Reuters.

Ele culpou pessoas interessadas em tirar do rumo a transição democrática da Tunísia após o levante popular de 2011.

"A Tunísia hoje está no maior impasse político desde a revolução. Devemos ficar calados e não entrar num espiral de violência. Precisamos mais do que nunca de unidade", disse Gannouchi.

(Reportagem de Tarek Amara)

Tudo o que sabemos sobre:
TUNISIAISLAMISTANEGAASSASSINATO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.