Partido Verde sai do governo irlandês

Um dos menores partidos da coalisão de governo na Irlanda deixou o governo do primeiro-ministro Brian Cowen no domingo, reduzindo sua pequena vantagem no parlamento e aumentando a possibilidade de novas eleições antes do dia 11 de março.

PADRAIC HAL, REUTERS

23 de janeiro de 2011 | 18h13

O Partido Verde disse que apoiaria a passagem de legislação específica para dar respaldo ao orçamento de austeridade de 2011, e disse que queria que essas leis fossem passadas rapidamente, para permitir uma eleição até março.

A decisão do Partido Verde deixa Cowen com apenas sete ministros, o mínimo permitido pela constituição, para reger 15 ministérios.

"Nossa paciência chegou ao fim", disse o líder do Partido Verde John Gormley numa coletiva de imprensa. "Decidimos não continuar no governo."

O Partido Verde já há algum tempo queria sair da parceria com o partido Fianna Fail, de Cowen, por causa do pedido de resgate financeiro realizado pelo governo ao FMI e à União Européia.

As relações entre os dois partidos desabaram de vez quando Cowen, que tinha acabado de ganhar um plebiscito interno de seu partido sobre sua saída, tentou fazer uma reforma ministerial para aumentar as chances de eleição de seus colegas.

Gormley espera que a decisão de sair do governo ajude a passar rapidamente as leis de austeridade do orçamento.

O partido de centro-direita Fine Gael e o Trabalhista, de centro-esquerda, querem passar a legislação, que corrobora mudanças fiscais incluídas no orçamento de 2011, aprovado na sexta-feira, e pedir eleições imediatas. Os dois partidos são os favoritos a vencer a próxima eleição.

Mas o primeiro-ministro Brian Cowen, que no sábado renunciou da posição de líder do seu partido em meio a críticas, disse que não se pode acelerar demais as leis fiscais.

O orçamento de 2011 é uma parte fundamental de um plano de resgate de 85 bilhões de euros (US$115 bilhões) criado por meio de um acordo com o FMI e com a União Européia.

Tudo o que sabemos sobre:
VERDEIRLANDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.