Passageiros passam noite de Natal em aeroportos na Europa

Centenas de passageiros passaram a manhã do Natal em aeroportos na Europa, depois de dormirem em camas de acampamento. O clima frio e o gelo impediram o movimento de aviões em Paris e Bruxelas.

CATHERINE BREMER, REUTERS

25 de dezembro de 2010 | 10h58

A programação dos voos estava voltando ao normal em Paris, graças a novas entregas do fluido para degelar a pista pela Alemanha e pelos Estados Unidos. No entanto, muitos passageiros vão perder as confraternizações do dia 25 nos seus destinos.

No Reino Unido, na Bélgica e na Alemanha, os aeroportos estão quase de volta ao normal, embora há cancelamentos em Frankfurt e Zurique.

O tempo gelado e as nevascas interromperam o fluxo de aviões por dias, prejudicando a viagem de fim de ano de centenas de milhares de pessoas e levantando preocupações sobre o preparo das companhias aéreas e aeroportos para esse tipo de clima.

Houve também interrupção dos trens e obstrução de rodovias, num dos meses de dezembro com mais neve na história da Europa.

No aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, funcionários serviram café aos passageiros que esperavam para embarcar. O ministro dos Transportes, Thierry Mariani, afirmou a passageiros que ele investigaria a causa da falta do fluido de degelo da pista.

Pelo menos 300 pessoas dormiram em camas de armar de estilo militar no aeroporto de sexta para sábado, depois do cancelamento de cerca de 400 voos. Muitos dormiram em hotéis na região.

Teve gente que improvisou uma ceia de Natal, com champagne em copos de plástico, salmão defumado, queijo. Um Papai Noel presenteou crianças com doces e brinquedos.

"O tempo está imprevisível," disse o ministro Mariani, que chegou ao aeroporto pouco depois da meia-noite. "Você pode fazer todo esforço, mas no fim é o tempo que conta."

O trem Eurostar, que liga Londres e Paris, não iria operar neste sábado. Ele operaria de novo no domingo. Das 45 viagens antes previstas, quatro foram canceladas.

Tudo o que sabemos sobre:
EUROPAAEROPORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.