Passeatas marcam um ano da morte de jornalista russa

Anna Politkovskaya, crítica do governo Putin, foi morta a tiros em Moscou.

BBC Brasil, BBC

07 de outubro de 2007 | 18h40

Familiares, amigos e simpatizantes marcaram o primeiro aniversário da morte da jornalista russa Anna Politkovskaya com uma manifestação na praça Pushkin, em Moscou, neste domingo.Enfrentando a chuva e a forte presença policial no local, eles pediram que os responsáveis pela morte de Politkovskaya, morta a tiros em seu apartamento, fossem levados à Justiça.Politkovskaya era uma proeminente crítica do governo de Vladimir Putin e ficou conhecida por expor atrocidades das forças de segurança apoiadas pelos russos contra civis na Chechênia.Um político de oposição presente ao evento, Mikhail Kasyanov, disse que a jornalista "tinha pago o preço por defender a dignidade de todos os cidadãos".Em outra parte da capital russa, milhares de integrantes do movimento jovem pró-Kremlim Nashi fizeram uma outra manifestação, comemorando os 55 anos do presidente Putin.O assassinato de Politkovskaya foi condenado internacionalmente em meio a alegações de que Putin havia fracassado em proteger a liberdade de expressão no país, mas o caso continua sem resolução.Mesmo havendo imagens de circuito interno de TV mostrando o suspeito da morte da jornalista, dez meses se passaram até que as primeiras prisões foram feitas.Entre os detidos estavam integrantes das forças de segurança russas, inclusive da agência de inteligência interna, o FSB.Dois dos suspeitos foram libertados e o principal investigador no caso foi substituído.Desde a morte de Politkovskaya, pelo menos dois outros jornalistas russos foram mortos em circunstâncias suspeitas e outro foi ferido a tiros, segundo o correspondente da BBC Richard Galpin.A organização não-governamental Repórteres Sem Fronteiras diz que 18 jornalistas foram assassinados por causa de seu trabalho na Rússia desde que Vladimir Putin se tornou presidente, em março de 2000.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.