''Patentes avançam em emergentes e caem no Brasil''

A China foi a que mais cresceu entre os emergentes com 173 mil pedidos, diz Ompi.

BBC Brasil, BBC

10 de agosto de 2007 | 09h08

O número de patentes solicitadas no Brasil caiu 13,8% em 2005, revelou um relatório publicado pela Organização Mundial de Propriedade Intelectual (Ompi), ligada às Nações Unidas.Este índice coloca o Brasil na 13ª posição no ranking dos 20 maiores escritórios de patentes do mundo, ficando atrás de outros países emergentes como Índia que registrou crescimento de 1,3%, Rússia, (6,8%) e México (9,8%).Entre os emergentes, a China foi o país que mais cresceu. De 2004 para 2005, o número de solicitações de patentes no país aumentou 32%, batendo a marca de 173 mil pedidos. Com o avanço, aponta o relatório, a China passa a ocupar o terceiro lugar no ranking dos países que mais recebem com pedidos de propriedade intelectual, ficando atrás apenas do Japão (427 mil) e Estados Unidos (390 mil).Em números gerais, o Brasil recebeu apenas 16,1 mil pedidos de patentes em 2005, em comparação a 18,6 mil no ano anterior.De acordo com a Ompi, 5,6 milhões de pedidos de patentes estavam em andamento em 2005.A redução no Brasil foi sentida tanto nos pedidos feitos por empresas e universidades brasileiras quanto nos pedidos feitos por estrangeiros.Os pedidos encaminhados por residentes caíram 1,8% em 2004, enquanto na China ouve crescimento de 42%. Já a Índia registrou maior queda do que o Brasil (8%).Já a redução de pedidos de estrangeiros no Brasil foi de 17%, a maior entre todos os escritórios de patentes. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.