Paulinho Machado de Carvalho morre aos 86 anos

Será enterrado hoje pela manhã, no Cemitério do Morumbi, em São Paulo, o empresário Paulo Machado de Carvalho Filho, o mais velho dos três filhos do homem que batiza o estádio do Pacaembu e que colocou a TV Record no ar, em 1953. Paulinho Machado de Carvalho, como era conhecido, morreu ontem, aos 86 anos, em decorrência de uma neoplasia maligna de próstata, no Hospital Sírio-Libanês.

AE, Agência Estado

15 de setembro de 2010 | 09h56

Irmão de Antônio Augusto Amaral de Carvalho, o Tuta, dono da Rádio Jovem Pan, e de Alfredo, já morto, Paulinho comandou a Record até 1990, quando a emissora passou às mãos de Edir Macedo e sua Igreja Universal. Como o pai, que fora cartola do São Paulo Futebol Clube, Paulinho era torcedor fanático do tricolor paulista. Começou a trabalhar aos 16 anos, na Rádio Record, então instalada na Rua Quintino Bocaiuva, no centro, com programação musical.

Em 1944, Paulinho convenceu o pai a investir em uma rádio esportiva, e veio a Panamericana, rebatizada como Jovem Pan em 1965, somando-se ainda à Rádio São Paulo, destinada à programação de radionovelas. Era o Grupo de Emissoras Unidas, onde o "doutor" Paulo, como o patriarca se fazia chamar, pôs os três herdeiros para trabalhar.

Em 27 de setembro de 1953, a família colocava no ar a TV Record, abrigada em uma moderna construção na Avenida Miruna, próximo ao Aeroporto de Congonhas, na zona sul, onde a Record funcionou até 1995 - o prédio agora vem sendo adaptado para abrigar um hospital do convênio médico pertencente à Igreja Universal. As Unidas também foram transferidas para a Miruna, sendo que a Jovem Pan (já nas mãos apenas de Tuta, que havia comprado a parte dos irmãos na rádio e deixado a sua na televisão) se mudou em 1976 para a Avenida Paulista, onde está até hoje.

Paulinho esteve à frente dos negócios por 60 anos. Foi dele a iniciativa de trazer ao Brasil alguns dos grandes nomes internacionais da música vistos em shows promovidos pela Record nos anos 60. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.