PCdoB oficializa apoio a Dilma e agrega mais tempo de TV à campanha petista

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB), do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, formalizou nesta sexta-feira o apoio à candidatura da presidente Dilma Rousseff à reeleição, juntando-se a outras legendas que devem conferir à campanha petista o maior tempo de televisão dentre os candidatos ao Planalto.

REUTERS

27 de junho de 2014 | 20h07

Outras siglas já oficializaram o apoio a Dilma, como o PMDB, que indicou novamente Michel Temer para o posto de vice na chapa, o PSD, e o Pros, entre outros, que juntos vão render à candidatura da presidente mais de 10 minutos de programa eleitoral em cadeia nacional de rádio e televisão.

“Nós apoiamos a eleição da presidenta Dilma, integramos o esforço realizador do seu governo e assumimos agora solenemente e oficialmente o compromisso de lutar pela sua reeleição”, disse o ministro, durante a convenção nacional do partido que formalizou a entrada na coligação.

Durante o evento, Dilma disse sentir “forte alegria” pela indicação, chegando, em alguns momentos, a se emocionar com as palavras de ordem da União da Juventude Socialista (UJS).

“Essa minha emoção deriva do que eu sempre falo para o Renato (Rabelo, presidente do PcdoB). Parece a gente no passado. Vocês têm esse poder de emocionar”, afirmou a presidente, que teve seu primeiro contato com a política ainda no movimento estudantil durante o período da ditadura militar.

“Em meu nome, em nome do PT, de toda a base de sustentação, eu agradeço esse apoio que para mim... é estratégico”, disse Dilma.

O PCdoB tem 16 deputados federais eleitos, sendo que um deles, Rebelo, licenciou-se para chefiar a pasta de Esporte. O tamanho da bancada federal dos partidos é levado em conta para o cálculo dos segundos de TV aos quais a chapa terá direito para o programa eleitoral.

Mais conteúdo sobre:
POLITICADILMAPCDOB*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.