Pedido de habeas-corpus de Vilma Martins é negado pelo STF

Seqüestradora do garoto Pedrinho tentava fugir de punição pelo crime; na Semana Santa ela fugiu da prisão

Do estadao.com.br,

15 de abril de 2008 | 20h42

Condenada na Justiça de Goiânia pelo seqüestro de duas crianças, Vilma Martins Costa teve neste terça-feira, 15, um habeas-corpus negado pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF).Com o pedido, ela tentava extinguir a possibilidade de ser punida por forjar parto alheio como próprio, um dos crimes a que foi sentenciada. Vilma está presa desde 2006. Ela foi acusada de seqüestrar Aparecida Fernanda e Pedro Rosalino Braule Pinto, o Pedrinho, criado por ela até os 16 anos.   Veja também: Vilma Martins foge da prisão para participar de pescaria em GO   Segundo o STF, como a defesa de Vilma não levantou a questão nas instâncias anteriores a corte, os ministros não analisaram a questão, por constituir "supressão de instância".   Parte do pedido pretendia ainda impor ao Supremo um exame aprofundado das provas, o que é impossível por meio de habeas-corpus, segundo o relator do caso, ministro Celso de Mello.   Os ministros acolheram um parecer da Procuradoria Geral da República (PGR), que afirmou que a defesa de Vilma pretendia conseguir a revisão da sentença criminal e que a ação penal contra Vilma se encontra em fase de "execução definitiva".

Tudo o que sabemos sobre:
Caso PedrinhoVilma Martins

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.