Pelé tem 'instabiliadade clínica' e é transferido a unidade de cuidados especiais

O ex-jogador Pelé apresenta "instabilidade clínica" e foi transferido para uma unidade de cuidados especiais, informou nesta quinta-feira boletim médico do hospital onde ele está internado, em São Paulo.

REUTERS

27 Novembro 2014 | 14h33

"Para receber os melhores cuidados, foi transferido para ser monitorado em uma unidade de cuidados especiais", disse em comunicado o Hospital Albert Einstein, sem dar mais detalhes.

O tricampeão mundial com a seleção brasileira foi internado na última segunda-feira e exames detectaram uma infecção urinária.

Segundo um boletim médico anterior, divulgado na quarta-feira, Pelé estava recebendo antibióticos por via endovenosa e tinha condição estável.

O assessor pessoal de Pelé, José Fornos Rodrigues, conhecido como Pepito, garantiu à Reuters que o ex-jogador está bem e que a transferência dele para outra unidade tem o objetivo principal de proteger sua privacidade.

"Ele estava desconfortável com tantas pessoas visitando. Será mais tranquilo agora", disse o assessor por telefone.

Uma porta-voz do hospital se recusou a dar mais detalhes, mas afirmou que Pelé não está em tratamento intensivo.

Pelé já havia sido internado no mesmo hospital em 12 de novembro com dores abdominais e passou por uma cirurgia para a retirada de cálculos no rim, uretra e vesícula, que dificultavam seu fluxo urinário. Ele recebeu alta no dia 15.

Há dois anos, o ex-jogador de 74 anos, campeão mundial com o Brasil em 1958, 1962 e 1970, passou por cirurgia no quadril.

(Reportagem de Tatiana Ramil e Brian Winter)

Mais conteúdo sobre:
FUTPELECUIDADOESPECIAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.