Pelo menos 20 são mortos em conflitos tribais no Quênia, diz polícia

Pelo menos 20 pessoas foram mortas em violência entre clãs no norte do Quênia neste domingo, informou a polícia, desestabilizando ainda mais uma das regiões mais voláteis do país.

REUTERS

22 Junho 2014 | 17h01

Os conflitos entre as comunidades Degodia e Gare começaram em meados de maio e levaram a mais de 40 mortes no condado de Wajir, que faz fronteira com a Somália, noticiou a mídia local.

Os embates são os mais recentes numa série de massacres retaliatórios, ostensivamente parte de uma duradoura disputa por terra e água entre as duas tribos.

"Eu posso confirmar que 20 pessoas foram mortas em conflitos entre milícias de Degodia e Gare. Nove pessoas também foram feridas", disse o porta-voz da polícia Masoud Mwinyi à Reuters.

A área de Wajir é amplamente vista como uma das partes menos estáveis do Quênia, com bandidos rumando por vastas áreas de terra árida e militantes somalis al Shabaab realizando emboscadas transfronteiriças.

Mwinyi disse que a polícia abriu uma investigação para estabelecer se os mais recentes ataques Degodia e Gare têm motivação política. O condado de Wajir tem poucas estradas em áreas rurais e muitos detalhes dos conflitos não ficaram claros.

(Por Humphrey Malalo)

Mais conteúdo sobre:
QUENIAMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.