Pequeno grupo ataca prédio da Prefeitura de SP

Parte dos manifestantes que estava concentrada em frente à Prefeitura de São Paulo derrubaram as grades de proteção e entraram em uma restrita. Policiais da Guarda Civil Metropolitana (GCM)tentaram conter os manifestantes e acabaram entrando dentro do Edifício Matarazzo e fechando as portas para se refugiarem.

Agência Estado

18 Junho 2013 | 19h05

Algumas pessoas ainda continuaram a atacar as portas usando as próprias grades e quebraram vidros. Parte dos jovens tentou conter a agressão. "Sem violência", gritaram, enquanto fazem um cordão de isolamento para bloquear a passagem dos mais exaltados. A GCM está jogando gás de pimenta de cima do prédio.

A Polícia Militar calcula que 12 mil pessoas participam do sexto ato contra o reajuste das tarifas de ônibus, na região central de São Paulo. Até o momento, a marcha corria de maneira pacífica. Alguns apenas queimavam bonecos com a cara do prefeito Fernando Haddad (PT) e do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Ao ver a ação dos poucos indivíduos exaltados, a maior parte dos manifestantes deixou o local e agora segue no sentido da Avenida Paulista.

Mais conteúdo sobre:
protestosSPprefeitura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.