Perícia buscará traços de produtos nos corpos

Os delegados Alessandro Marques e Antônio Palmieri passaram a tarde de ontem no Centro de Radiologia do Hospital Vera Cruz ouvindo uma médica e uma auxiliar técnica que participaram dos exames e colhendo materiais em conjunto com o Instituto de Criminalística (IC). A perícia também colheu material dos corpos para análise de produtos no organismo.

CAMPINAS, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2013 | 02h01

"Vamos buscar mais dados nas investigações e na sexta-feira a Delegacia Seccional vai convocar uma entrevista coletiva para divulgar o que estamos apurando", afirmou o delegado Alessandro Marques.

O secretário de Saúde de Campinas, Carmino Antonio de Souza, afirmou ontem que todos os profissionais envolvidos nos exames serão investigados, "desde os responsáveis pelo armazenamento dos produtos e equipamentos até quem aplicou o contraste e fez a ressonância magnética".

O secretário também informou que uma equipe começou a rastrear na cidade a matéria-prima dos medicamentos e soluções aplicados nas vítimas para identificar possíveis problemas em outros hospitais e clínicas.

O presidente do Sindicato dos Tecnólogos, Técnicos e Auxiliares em Radiologia de Campinas e Região, Pedro Marquese, afirmou que os equipamentos de ressonância são seguros e a calibragem do volume de contraste a ser injetado durante o exame é feita pela máquina, com poucas chances de erro. "As causas dessas mortes são verdadeiras interrogações", disse o presidente do sindicato. / R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.