Peritos reconstituem cena de Isabella no jardim

Os peritos da Polícia Civil reconstituíram por mais de uma hora o momento em que a menina Isabella Nardoni, de cinco anos, foi encontrada no jardim do prédio onde o pai e a madrasta moravam. Com a ajuda de testemunhas, os profissionais reconstituíram o momento em que o corpo foi achado, o momento em que o vizinho do primeiro andar ligou para o resgate e a hora em que Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina, chegaram ao local. Além do morador do primeiro andar, outra testemunha que ajudou os peritos nessa fase da reconstituição do crime foi o porteiro do edifício, que na noite do crime interfonou para este morador para avisar sobre o ocorrido.A testemunha do primeiro andar afirmou para a perícia que Anna Carolina Jatobá, assim que chegou ao local em que Isabella estava caída, não se aproximou do corpo da menina. Ele disse também que a madrasta de Isabella chegou ao térreo do edifício gritando ao porteiro que o prédio não tinha segurança. O vizinho informou, ainda, que, logo que viu o corpo da garota, entrou rapidamente, pegou o telefone (para ligar para o resgate) e voltou para a sacada. E que o único lugar por onde um possível assaltante poderia sair do edifício seria pela portaria da frente.

ANA PAULA RIBEIRO, Agencia Estado

27 de abril de 2008 | 16h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.