Pérola Negra comemora apoio do público no Anhembi

A Pérola Negra, primeira escola a desfilar neste sábado no Anhembi, conseguiu levantar a torcida de outras agremiações e encerrou sua apresentação em 64 minutos, bem próximo do limite de 65 minutos. "Acho que conseguimos emocionar. Não temos torcida e conseguimos levantar até a torcida da Gaviões da Fiel", comemorou o presidente da Pérola Negra, Edilson Casal, em conversa com jornalistas.

ALINE BRONZATI, Agência Estado

02 Março 2014 | 00h33

Casal contou que a primeira dupla de mestre-sala e porta-bandeira se atrasou para descer do hotel e, por isso, teve dificuldade para passar pela concentração, uma vez que a escola já estava montada. Sobre a perda de parte da fantasia do mestre-sala, Casal disse que, quando o integrante entrou na avenida, o figurino estava completo.

Já Kátia Salles se emocionou ao falar da sua primeira vez no sambódromo como rainha de bateria da Pérola Negra. "Foi maravilhoso. Estou com meu coração a mil", disse.

Outro destaque foi Rafaela Trigueiro, que mesmo grávida de oito meses desfilou como apoio da bateria. Este foi o 13º carnaval dela. Mesmo cansada, admitiu que não conseguiria ficar em casa vendo sua escola desfilar. Com o samba-enredo "Caminhos segui, lugar encontrei... Pérola Negra, a suprema felicidade!", a escola também comemorou "40 anos de samba".

Mais conteúdo sobre:
carnaval 2014pérola negra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.