Peru quer gasoduto ao lado de um planejado pela Odebrecht

O governo do Peru planeja oferecer uma concessão no valor de 1,8 bilhão de dólares para a construção de um gasoduto ao lado de um duto diferente que a Odebrecht quer construir, disse o ministro de Energia, Jorge Merino, nesta quarta-feira.

MARCO AQUINO, Reuters

05 Dezembro 2012 | 19h17

O anúncio poderia complicar esforços da Odebrecht para construir seu próprio gasoduto, que já enfrentou atrasos relacionados a garantias de oferta dos campos de gás de Camisea, aos termos de sua concessão, e a dúvidas sobre como financiar o projeto.

Merino disse que o gasoduto terá início nas reservas de gás de Camisea na selva do sul do Peru e atravessará as regiões de Cusco e Arequipa até a costa do Pacífico, próximo a Ilo.

De acordo com fontes do governo consultadas pela Reuters, o Peru decidiu oferecer uma concessão para o "Gasoduto Sul-Peruano" devido ao que ele chamou de restrições excessivas no plano da Odebrecht e também porque deseja aumentar a oferta de energia no país, que passa por um rápido crescimento.

"O Gasoduto Sul-Peruano é uma emergência nacional", disse Merino em coletiva de imprensa.

Antes do anúncio de Merino, o governo havia dito que construiria um gasoduto separado, levando alguns analistas a afirmar que os planos atingiriam a demanda do projeto da Odebrecht. O anúncio desta quarta-feira coloca o novo gasoduto ainda mais perto da trajetória da Odebrecht.

A Odebrecht disse que seu gasoduto, que com mil quilômetros seria mais longo do que o mencionado por Merino, incluiria dutos para gás e líquidos. Ele exigiria investimentos de 5,8 bilhões de dólares.

Mais conteúdo sobre:
CONSTRUCAO PERU ODEBRECHT LEGAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.