Pesca predatória pode ter provocado mortandade em SP

Representantes do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) foram hoje para Mongaguá (SP) para coletar informações sobre as centenas de peixes que apareceram mortos nas praias da cidade na última segunda-feira. Segundo a Prefeitura de Mongaguá, foram recolhidas cerca de 10 toneladas de animais mortos - todos peixes comuns na costa paulista, como o porquinho.

REJANE LIMA, Agência Estado

27 de janeiro de 2011 | 16h31

Técnicos da prefeitura e do MPA se reuniram para tentar entender o motivo da mortandade e buscar soluções para que a situação não se repita. Foram levantadas duas hipóteses pela Diretoria de Meio Ambiente do município: alteração climática e pesca predatória.

Entretanto, segundo a própria prefeitura, tudo indica que a pesca predatória é a hipótese mais provável, já que, de acordo com o oceanógrafo Fernando Gonçalves, pescadores e munícipes relataram a presença de 10 a 15 embarcações fazendo arrasto de camarão muito próximo da costa, na madrugada de domingo para segunda-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
peixeMongaguámortandade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.