Pesquisa implica humanos em extinção pré-histórica

Os gigantescos animais pré-históricos da Austrália, incluindo cangurus de três metros de altura, provavelmente foram varridos do mapa não por uma mudança climática, mas pela chegada dos primeiros aborígenes, diz um pesquisador.A questão de o que acabou com a chamada megafauna australiana - incluindo os cangurus gigantes e criaturas parecidas com capivaras, mas do tamanho de rinocerontes - durante a última era glacial divide os paleontólogos.As teorias mais populares apontam para mudança climática, há mais de 40.000 anos, ou para os aborígenes, que chegaram à Austrália há 60.000 anos, que teriam caçado os animais até a extinção e eliminado a vegetação de que precisavam para viver. Novas evidências encontradas no Estado de Austrália do Sul eliminam a hipótese da mudança climática como causa das extinções, de acordo com artigo publicado no periódico Geology. O autor do artigo, o paleontólogo Gavin Prideaux, disse que o trabalho de sua equipe de pesquisas indica que a presença humana ateve parte na extinção, embora não tenha sido encontrada evidência direta de intervenção dos aborígenes. Mas, "se não foi o clima, então tem de ser os humanos", declarou ele."A questão que fica é tentar decidir se foi a caça ou a devastação ambiental... e um pouco de cada é o mais provável", acrescentou.A equipe encabeçada por Prideaux registrou os índices de chuva na região australiana de Naracoorte, referentes a um período de mais de 500.000 anos, examinando sedimentos em cavernas. Restos fossilizados de animais que caíram nas cavernas - incluindo 20 espécies de cangurus extintos, leões marsupiais e um marsupial semelhante ao hipopótamo - foram datados usando dois métodos diferentes."Embora a população tenha flutuado de acordo com mudanças cíclicas no clima, com os tipos maiores sendo favorecidos nos períodos mais úmidos, a maioria, se não todos, sobreviveram até mesmo nas piores secas. E então entraram os humanos", afirma nota distribuída pelo cientista."Nossa evidência mostra que os gigantes de Naracoorte pereceram sob condições climáticas muito parecidas com as que, antes, os haviam feito prosperar, o que implica fortemente os humanos na extinção", acrescenta.A teoria de que a chegada da primeira população humana à Austrália, hoje conhecida como aborígene, deu cabo da megafauna foi popularizada pelo livro ("Os Devoradores do Futuro"), do zoólogo e paleontólogo TimFlannery. Críticos dessa visão incluem o especialista em ecologia David Bowman, que argumenta que os aborígenes não tinham a população, nem a tecnologia - suas armas eram lanças e bumerangues -, necessárias para eliminar os animais.

Agencia Estado,

26 de dezembro de 2006 | 16h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.