Pesquisa na internet aumenta confiança em pacientes de câncer

Pacientes que foram diagnosticados precocemente para o câncer e usam a internet para obter informações sobre a doença têm uma visão mais positiva e são mais ativos em seus tratamentos, de acordo com um estudo publicado na edição de março do Journal of Health Communication."Esse é o primeiro estudo a analisar as relações entre o uso da internet e o comportamento dos pacientes", disse Sarah Bass, professora de saúde pública e principal pesquisadora. "Nós queríamos ver se o acesso a informações disponíveis sobre a condição ajuda os pacientes a lidar com problemas como queda de cabelo e outros efeitos colaterais do tratamento". O estudo dividiu 442 pacientes em "usuários diretos, indiretos e não usuários" de internet, de acordo com seu padrões de uso. Segundo Bass, usuários diretos e indiretos tendem a ser mulheres entre 50 e 60 anos, formadas e que ganham mais de US$ 60 mil ao ano. Durante a pesquisa, Bass e sua equipe começaram a perceber fortes paralelos entre o uso da internet e os sentimentos dos pacientes sobre o tratamento. Aqueles que utilizavam a rede e os que recebiam informações da internet, de membros da família ou amigos, eram mais suscetíveis a ver o relacionamento com os médicos como uma parceria, e estavam mais confortáveis fazendo perguntas e tentando tratamentos alternativos.Bass também disse que, enquanto cada vez menos fundos são direcionados para linhas de atendimento médico, agora é a hora de médicos e pacientes fazerem suas próprias pesquisas na internet. "Mas como a maioria das coisas, temos que ficar atentos. Fique com os dados que são associados a grupos grandes e reconhecidos, sem fins lucrativos".

Agencia Estado,

02 de março de 2006 | 18h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.