Pesquisa tenta entender o que leva o homem a caçar

Um novo estudo realizado em meio ao povo Hazda da Tanzânia, e que deverá ser publicado na edição de abril de Current Anthropology, explora o papel da caça na evolução humana. Entre chimpanzés e a maioria dos povos que subsistem dos recursos da vida silvestre, caçar é uma atividade predominantemente masculina, e cientistas há tempos tentam encontra a vantagem do comportamento, perigoso e cansativo, para o caçador. Uma explicação possível, conhecida como "hipótese exibicionista", sugere que a caça oferece oportunidade para chamar atenção e aumentar as chances de acasalamento, "Quando perguntamos onde gostariam de morar, as mulheres Hazda preferiram a terra de bons caçadores, onde haveria mais comida para a família", diz Brian M. Wood, estudante de Antropologia na Universidade de Harvard. "A escolha já não era tão clara para os homens: viver com maus caçadores ofereceria uma chance de exibir a própria perícia. Viver com bons caçadores traria mais comida para a família, ao preço de um status mais baixo".Em um estudo semelhante entre o povo Ache do leste do Paraguai, também publicado em Current Anthropology, Wood relata que um homem sem filhos ou dependentes preocupa-se mais com o prestígio individual como caçador, e preferirá viver entre maus caçadores. Já um homem com crianças, mais preocupado em ter acesso à comida, prefere viver com bons caçadores.No entanto, a maioria dos participantes no estudo Hazda optou por uma situação que maximizava o fluxo de nutrientes. "Uns poucos de juntaram a caçadores ruins, onde podiam, como um deles disse, ensinar a caçar", diz Wood. "A maioria dos homens, porém, se juntou aos bons caçadores. Para o Hazda, ao menos, o prêmio da vitória é mais importante".

Agencia Estado,

01 de março de 2006 | 16h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.