Pesquisas deixam lacunas

A maioria dos estudos sobre as consequências da prática da ioga tem lacunas.

O Estado de S.Paulo

15 Abril 2012 | 03h06

Alguns, por exemplo, incluem nos testes indivíduos doentes que já recebem tratamento. Não fica claro, portanto, o que é mérito da ioga e o que deve ser atribuído à terapia convencional.

Outros não aferem a condição dos voluntários antes da primeira aula de ioga, o que impede qualquer conclusão sobre o nível de melhora.

Por fim, quase todos os estudos científicos analisam populações do Oriente, já predispostas à prática.

"Por isso, procuramos uma população saudável e o mais uniforme possível", comenta a bióloga Regina Helena da Silva, coordenadora do estudo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.