Petrobras contrata 4 plataformas por US$1,7 bi

A Petrobras anunciou nesta segunda-feira que assinou com Odebrecht, OAS e UTC Engenharia contrato de 1,7 bilhão de dólares para a construção de 4 plataformas no estaleiro Inhaúma, no Rio de Janeiro.

REUTERS

07 Maio 2012 | 19h21

O acordo prevê a conversão de quatro navios do tipo VLCC (Very Large Crude Carrier) nos cascos das futuras plataformas P-74, P-75, P-76 e P-77, destinadas às áreas da Cessão Onerosa.

A Cessão Onerosa é o contrato fechado entre a estatal e o governo federal onde a empresa recebeu 75 bilhões de reais em troca de 5 bilhões de barris de petróleo que serão retirados de seis campos do pré-sal.

As obras de conversão das plataformas deverão começar em junho e serão realizadas no estaleiro Inhaúma, no Rio de Janeiro, arrendado pela Petrobras e que está sendo reformado para atender às demandas da estatal.

Cada plataforma terá capacidade de produzir até 150 mil barris de petróleo por dia e de comprimir 7 milhões m3 de gás natural diários.

Elas deverão operar em Franco e Nordeste de Tupi, localizados no pré-sal da Bacia de Santos.

A primeira unidade dessa série é a plataforma P-74, cujo navio já está ancorado no Porto do Rio de Janeiro. A conversão de seu casco deverá ser concluída em março de 2014.

A previsão é que o casco da P-75 tenha a obra concluída em outubro de 2014 e os cascos das plataformas P-76 e P-77 ao longo de 2015.

Após a conclusão dessa etapa de conversão, cada casco será encaminhado a outro canteiro, onde serão instalados os módulos de produção e de processamento de petróleo e gás, além da integração das unidades. Estes contratos devem ser assinados até abril de 2013, segundo comunicado da estatal.

(Reportagem de Leila Coimbra)

Mais conteúdo sobre:
ENERGIAPETROBRASODEBRECHT*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.