PF ajudará a apurar ameaça a grupo 'Tortura Nunca Mais'

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República pediu à Polícia Federal que acompanhe as investigações das ameaças feitas ao Grupo Tortura Nunca Mais e a invasão da sede da entidade no Rio de Janeiro. "Diante dos fatos ocorridos, consideramos inaceitável o ataque a uma entidade que realiza um trabalho fundamental na defesa dos Direitos Humanos", diz o texto da nota publicada pela Secretaria neste sábado.

LISANDRA PARAGUASSU, Agência Estado

21 de julho de 2012 | 13h58

A sede do Grupo foi invadida na madrugada de quinta-feira. Foram roubados R$ 1,5 mil e documentos da entidade, que levanta dados e ajuda pessoas que foram torturadas durante a ditadura militar.

A ONG também afirma que vem sofrendo ameaças anônimas. Por duas vezes, em um intervalo de 10 dias, a sede da organização teria recebido telefonemas em que um homem dizia: "Nós vamos voltar e isso aí vai acabar".

"Mais grave se torna o fato diante da dedicação do grupo Tortura Nunca Mais à democracia e à recuperação histórica dos fatos ocorridos no Brasil durante a ditadura militar e no combate à tortura nos dias de hoje", afirma a nota.

"Diante do momento que o País vive, de recuperação da memória e da verdade para afirmação da nossa democracia, consideramos fundamental que os episódios sejam rapidamente investigados e solucionados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.