PF apura fraude à Previdência com nome de Lula

A invasão por hackers do sistema de informática da Previdência Social resultou em empréstimos bancários consignado ilegais em nome do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As investigações da Policia Federal (PF) em Brasília, iniciadas em 2007, apuraram que o delito ocorreu através da internet, porém sem ser possível identificar o IP (identidade do computador) da máquina que provocou a fraude.

FRED MARCOVICI, Agência Estado

21 de dezembro de 2010 | 19h23

Agora a PF definiu que o inquérito para apurar as responsabilidades deva prosseguir em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, onde dois cidadãos contraíram os dois empréstimos junto ao Banco Panamericano - em nome do presidente Lula - sendo um de R$ 4.419,45 e outro de R$ 674,00. O dinheiro não foi descontado na conta do presidente. A polícia vai levantar para onde foi o montante.

O Ministério Público, por meio do promotor Rodrigo Vieira, entende que a competência de investigação é da Policia Civil. O delegado titular da 1ª. Delegacia de Polícia de Uruguaiana, Raimundo Ramonilson Bezerra, disse ter conhecimento do episódio, mas afirmou também que ainda não recebeu o expediente para dar sequência aos procedimentos. O promotor preferiu, pelo menos por enquanto, não revelar o nome das duas pessoas em cujas contas bancárias deveriam ser depositadas as quantias dos dois financiamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
fraudePFPrevidênciaLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.