PF cumpre busca e apreensão em órgão público do AP

A Polícia Federal (PF) cumpriu ontemseis mandados de busca e apreensão e dez mandados de condução coercitiva (levar para prestar depoimento), como desdobramento da Operação Mãos Limpas, no Amapá. A Procuradoria Geral do Estado e a Secretaria de Planejamento do Amapá estão entre os locais de busca.

PEDRO DA ROCHA, Agência Estado

30 Novembro 2010 | 00h13

O Governador do Amapá, Pedro Paulo Dia foi ouvido na Superintendência do Amapá, sem condução coercitiva. A Operação Mãos Limpas tem como objetivo prender uma organização criminosa composta por servidores públicos, agentes políticos e empresários que praticava desvio de recursos públicos do Estado do Amapá e da União.

Em 10 de setembro, 18 pessoas foram presas, incluindo o governador Pedro Paulo Dias (PP), o ex-governador Waldez Góes, o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Júlio Miranda, e o secretário da Justiça e Segurança Pública, Aldo Ferreira.

A PF conduziu 87 pessoas para prestar depoimento e cumpriu 94 mandados de busca e apreensão. Mais de R$ 1 milhão de reais foram apreendidos, além de carros de luxo e um avião. Miranda e Ferreira continuam presos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.