PF faz operação contra assaltos a carteiros na Bahia

Cerca de 120 policiais federais cumprem hoje 12 mandados de prisão preventiva, 16 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão contra quadrilhas organizadas especializadas em assaltos a carteiros nas regiões metropolitanas das cidades de Salvador e Feira de Santana, na Bahia.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

21 de outubro de 2011 | 14h59

Até o início da tarde haviam sido cumpridos 18 mandados de prisão, e entre os presos estava um estudante de Direito da Faculdade Integrada da Bahia (FIB), um dos líderes das quadrilhas desarticuladas. Em sua residência foram encontradas duas armas que eram utilizados nos assaltos aos carteiros. Com ele também foram apreendidos uma caminhonete de luxo, diversos cartões roubados dos carteiros e apetrechos para a falsificação de documentos.

As investigações foram iniciadas no começo desse ano, em função da grande quantidade de assaltos a carteiros na capital baiana. Foram aproximadamente 500 assaltos entre o ano passado e este ano, segundo a PF. Foram identificados três grupos criminosos organizados, liderados por A. B. M., E. Q. B. e J. M. B..

Os líderes financiavam os assaltantes, fornecendo os meios de locomoção e armamentos, para que roubassem os carteiros, visando à obtenção de cartões de crédito/débito ou de contas correntes enviados pelos Correios. Os assaltantes recebiam de R$ 50,00 a R$ 200,00 por cartão roubado.

Os bandidos contavam com ajuda de funcionários de operadoras de telefonia móvel, para obter dados de identificação dos titulares dos cartões roubados para serem desbloqueados. Após falsificação de documentos, os bandidos iam a estabelecimentos comerciais e realizavam compras de diversos bens, principalmente eletroeletrônicos, contando, em alguns casos, com a facilitação de empregados das casas comerciais ou de seu proprietário.

Mais conteúdo sobre:
assaltoscarteirosBAoperaçãoPF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.