PF fecha rede suspeita de jogo ilegal em Salvador

A Polícia Federal deflagrou hoje em Salvador uma operação de combate ao jogo ilegal e à exploração de máquinas caça-níqueis. O principal alvo da operação foi a Paratodos Bahia, principal rede de apostas em jogos supostamente ilegais no Estado, que conta com cerca de 4 mil pontos de venda, entre bancas de rua e lojas, apenas na capital baiana, onde atua há 40 anos. Ao todo, foram cumpridos 33 mandados de busca e apreensão na Operação Aposta, que contou com apoio dos Ministérios Públicos Federal e Estadual.Além de apostas no jogo do bicho, os clientes da Paratodos Bahia podem até comprar cartões de recarga de crédito em telefonia móvel nas lojas. "Estranhamos e lamentamos que uma rede ilegal dure tanto tempo, em tantos pontos da cidade", diz o promotor federal Paulo Gomes. A maior ação foi feita na sede da Paratodos, no bairro de Pituaçu, onde trabalham cerca de 80 funcionários. Vinte agentes interditaram o local, apreenderam cerca de 50 computadores, documentos e três cofres - o único valor divulgado foi o encontrado dentro do menor deles, cerca de R$ 60 mil.Além da sede da empresa, dois outros pontos considerados estratégicos da Paratodos foram interditados na cidade e 30 casas de bingo foram fechadas. No total, foram apreendidas cerca de 600 máquinas caça-níqueis e 3,6 toneladas de moedas. Apenas uma pessoa foi presa, por porte ilegal de arma. "A ação de hoje foi para coletarmos material para ser processado pela Polícia Federal para, então, apontarmos criminosos", afirma o procurador da República Sidney Madruga, responsável pelo pedido de interdição das casas.

TIAGO DÉCIMO, Agencia Estado

21 de agosto de 2007 | 19h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.