PF prende 6 acusados de traficar mulheres em MT e GO

Os aliciadores antecipavam o dinheiro para passaportes, compra das passagens e demais despesas

NELSON FRANCISCO, Agencia Estado

04 de março de 2008 | 17h46

Seis pessoas foram presas hoje em Mato Grosso e Goiás acusadas de tráfico internacional de mulheres para fins de prostituição na Espanha. A operação da Polícia Federal, denominada Madri, visa combater o aliciamento de garotas que eram levadas para o exterior com a promessa de que ganhariam bons salários.   Um dos acusados foi preso dentro do avião, no Aeroporto Internacional de Goiânia. Ele estava acompanhado de três mulheres num vôo que ia para Madri.   De acordo com a PF, as vítimas eram convencidas a se desfazerem de seus bens e a abandonarem suas famílias para se prostituírem na cidade de Madri.   Os aliciadores antecipavam os valores necessários à retirada de passaportes, à compra das passagens aéreas e às demais despesas de viagem, como forma de incentivar o aliciamento.   A PF informou que a seleção das brasileiras aliciadas contava, inclusive, com um esquema que envolvia o uso da internet, onde as mulheres postavam fotografias em páginas do site de relacionamentos Orkut, as quais eram avaliadas por membros da organização criminosa visando a seleção daquelas consideradas mais bonitas.   As investigações, iniciadas há dez meses, apontaram que na Espanha as brasileiras aliciadas eram submetidas a uma situação de semi-escravidão, pois tinham seus passaportes retidos pelos proprietários de boates, além de serem obrigadas a se prostituir para custear alimentação e estadia.    Algumas conseguiram escapar e retornar ao Brasil. Outras sequer chegaram a ingressar na Espanha, tendo sido deportadas. A maioria, no entanto, lá permanece sob o domínio dos donos de boates.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.